g2h

level

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

quem nao ama nao mata

QUEM NÃO AMA NÃO MATA.

por Claudio Simões

PERSONAGENS (por ordem alfabética)
BETH - psicóloga

CÂNDIDA - advogada

JÚLIA - decoradora

JULIANO - advogado

LUCINHA - secretária

ZÉ - operário

Cena 1 - CHÁCARA FELICIDADE


BETH - O que é que está acontecendo aqui?
JULIANO - Isto, eu pergunto.
BETH - Essa chácara não é sua?
JULIANO - Não. Pensei que fosse sua.
BETH - Peraí. Nós recebemos um fax seu.
JULIANO - Eu não mandei nada.
BETH - Tá aqui: "Reunião, sem falta, hoje, doze de junho"... Ainda especificou a data! Doze de junho.
LUCINHA - Dia dos namorados.
BETH - ... "quatro horas da tarde, na Chácara Felicidade." E um mapa, pra achar o caminho.
JULIANO - Recebi um fax igual. (Mostra.) Alguém queria nos reunir aqui.
BETH - Quem?
LUCINHA - Alguém que descobriu nossas intenções.
JULIANO - Será?
LUCINHA - O tubo... Ficou aberto...
BETH - Então, foi isso! Alguém ouviu tudo e resolveu nos reunir numa chácara abandonada, longe de tudo, perfeita para...
LUCINHA - Uma cilada! Alguém quer nos matar, é isso?
BETH - Eu vou embora.
JULIANO - Eu acho melhor a gente ficar.
BETH - E esperar seo Lobo chegar e comer Chapeuzinho Vermelho? Não mesmo!
JULIANO - Nós não sabemos quem tramou tudo isso, mas temos fortes suspeitas, não temos? Se for mesmo uma cilada, poderemos nos defender melhor juntos.
BETH - Não sei se eu concordo muito com isso não.
JULIANO - Eu, por mim, prefiro esperar e ver o que vai acontecer. Que horas são?
LUCINHA - Já são quatro e vinte.
JULIANO - Quatro e vinte. Quem quer que seja, já deve estar chegando...
BETH - Não sei não. Eu estou com medo.
JULIANO - Então?
LUCINHA - Eu espero.
BETH - E se for só um susto? Se ninguém aparecer?
JULIANO - Esperamos até as cinco, certo?
BETH - Tudo bem.
LUCINHA - Dia dos namorados.
BETH - Chácara Felicidade... Que nome brega!




Cena 2 - RÁDIO


GONZAGA - "Gonzaga Dutra e a notícia!" Dia dos namorados sangrento! Foi descoberto, agora, no começo da noite, um corpo crivado de balas na Chácara Felicidade, na Estrada do Coco. Do local, fala Marilene Gonçalves.
MARILENE - Pois é, Gonzaga, temos ainda poucas informações. A polícia está tendo dificuldades para trabalhar porque a Chácara Felicidade está sem luz. As únicas informações que temos, até agora, são de que a vítima foi morta a tiros, aparentemente nada foi roubado, e que, junto ao corpo, foi encontrado um cartão com a seguinte mensagem: “Te amo para sempre.” Sem assinatura! A polícia pensa em crime passional. Gonzaga!
GONZAGA - É!... Dia dos namorados! Um belo dia para um crime passional. E, agora, para você que está aí, agarradinho, agarradinha, com seu amor, aquela canção: ...




Cena 3 - TRÊS AMBIENTES DISTINTOS


BETH (bêbada) - Pena de morte para os coelhinhos da páscoa!
JULIANO - Um crime.
LUCINHA - Eu não sei, ...
JULIANO - Quando Pablo chegou em casa e encontrou sua mulher com outro, nem pensou duas vezes.
BETH (cantando) - Coelhinho da páscoa, que trazes pra mim?...
LUCINHA - Meu marido e eu sempre vivemos bem mas... Não era amor...
JULIANO - Sacou da furadeira, que era seu instrumento de trabalho, e investiu contra o amante da mulher.
LUCINHA - Pelo menos, não o que eu imaginava que seria amor...
BETH (cantando) - ... Um ovo, dois ovos, ... (Ri.) Dois ovos!
JULIANO - Só o bastante para assustar o outro.
LUCINHA - O que eu imaginava quando era adolescente.
JULIANO - Fugiu. Com as calças na mão. O outro.
BETH (cantando) - Eu sou a outra que o mundo difama... Três ovos assim.
JULIANO - A mulher ficou.
LUCINHA - Eu queria mais.
JULIANO - Enquanto ela pedia desculpas e tentava se justificar, Pablo pegava as malas.
LUCINHA - Um dia, eu não aguentei mais e falei: Eu quero mais, Zé.
BETH(cantando) - Existe a outra, existe a outra...
LUCINHA - Ele riu.
JULIANO - Ele riu e foi pra cozinha. Beber água, ele disse. Ela ficou na cama, nua, chorando.
BETH (cantando) - Coelhinho

JULIANO - Ele voltou com uma faca e matou a mulher. Depois, com a serra, que também era seu instrumento de trabalho, cortou a mulher em pedacinhos, embalou em sacos de lixo que tinha trazido da cozinha, botou nas malas e jogou no rio.
LUCINHA - Riu. Aí, eu lavei os pratos e fui dormir.
BETH - Eu... preciso mijar... (Sai.)
LUCINHA - Nem vi a novela.
JULIANO - Logo com a faca que, afinal de contas, era o instrumento de trabalho dela.




Cena 4 - RESIDÊNCIA DE JÚLIA E JULIANO


JÚLIA - Nossa! Você viu, no jornal, que crime horrível que teve nesta quinta?
JULIANO - Vi.
JÚLIA - Plena quinta feira santa! A quinta feira já é santa, não é?
JULIANO - Desde segunda é considerada santa, o povo é que não fala.



SEI QUE VOCE DEVE ESTÁ GOSTANDO,MAIS INFELISMENTE É MUITO EXTENSA,SE
VOCE QUISER PODE VISITAR O SITE: http://www.theatro.ocrocodilo.com.br/textos.html
QUE VAI ENCONTRAR O RESTO DESSA PEÇA E MUITO MAIS.

FONTE: http://www.theatro.ocrocodilo.com.br/textos.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares

Google+ Followers

Google+ Badge